Notícias


16. maio. 2017

Hepatites A, B e C | Causas e sintomas

A Hepatite é um tipo de inflamação que afeta o fígado, comprometendo seu funcionamento e aumentando o risco de aparecimento de cirrose, câncer e outras doenças.

O fígado é a maior glândula do nosso corpo, sua função é manter reservas de ferro, vitaminas e sais minerais necessários para o bom funcionamento do nosso organismo e a produção de diversas enzimas envolvidas no metabolismo. Esse órgão também é responsável pela produção da bile, um líquido ácido que desintoxica todos as substâncias químicas e prejudiciais que ingerimos, como por exemplo, bebidas alcóolicas e medicamentos.

A hepatite pode ser decorrente de várias situações, sendo as causas mais frequentes as infecciosas (ex: virais), tóxicas (ex: álcool), medicamentosas, autoimunes, etc.

 

Hepatite viral A: A transmissão se dá por meio da água e alimentos contaminados ou de uma pessoa para outra. O período de incubação da hepatite A é de 10 a 50 dias. Geralmente é assintomática, nos casos em que os pacientes apresentaram sintomas, os mais comuns são: náusea e vômitos, febre, pele e olhos amarelados, mal-estar, desconforto abdominal, falta de apetite, dor ao urinar e acolia fecal (fezes mais claras).

Hepatites virais B e C: A transmissão das hepatites B e C se dá principalmente por meio de sangue contaminado, por isso, é importante tomar muito cuidado com materiais cirúrgicos, transfusões de sangue e até mesmo ao realizar uma simples tatuagem. A hepatite B também pode ser transmitida através de relações sexuais, enquanto a hepatite C é pouco frequente por esta via. Os sintomas das hepatites B e C são similares aos da hepatite A, porém na maioria dos casos os pacientes não apresentam sinais da doença e acabam tomando conhecimento da mesma quando ela já evoluiu para um quadro crônico.

[BOX] A hepatite também pode ser causada pelo consumo em excesso de determinados medicamentos, como por exemplo, o Paracetamol. Uma medicação utilizada livremente, que aumenta o risco de se desenvolver a doença quando ingerida e misturada com álcool, mesmo que seja em pequena quantidade.

O diagnóstico da doença é realizado pela avaliação clínica do paciente e por meio de exames de sangue, que identificam as alterações hepáticas e a presença de agentes causadores, como por exemplo vírus da hepatite no organismo. Em alguns casos a hepatite também pode ser descoberta através de ultrassonografia abdominal.

 

O DB oferece aos seus clientes o Fibromax, uma ferramenta diagnóstica precisa para as doenças hepáticas, que permite ao paciente e ao médico um criterioso plano de tratamento. Substitui a biópsia, pois não é invasivo, na avaliação do grau de comprometimento do fígado, fornecendo diagnóstico a longo e a curto prazos.

O Fibromax é indicado na avaliação hepática de pacientes com suspeita de hepatite B ou C (enzimas hepáticas alteradas, sorologia positiva para HBV e HCV), esteatose hepática não alcoólica (obesidade e sobrepeso, resistência à insulina, diabetes tipo 2, dislipidemia e hipertensão arterial), esteatose hepática alcoólica (alcoolistas e hepatite alcoólica aguda) e uso de drogas ilícitas. O teste é de fácil realização: basta um exame de sangue simples, e o resultado é liberado em alguns dias.

Cadastre-se e receba as novidades do nosso informativo no seu e-mail: