Guia de Exâmes

Guia de Exames

CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO

CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO

O DB Patologia oferece a seus clientes o que há de mais moderno e eficiente no diagnóstico preventivo de câncer do colo do útero.
A citologia em meio líquido melhora a sensibilidade do método tradicional, constituindo-se numa excelente ferramenta diagnóstica na identificação precoce das lesões celulares que podem levar ao câncer do colo do útero.

O que é a citologia em meio líquido?
É um método diagnóstico no qual as células cervico-vaginais, após coletadas, são preservadas em uma solução conservante, o que permite automatizar e padronizar a preparação e a coloração das lâminas citológicas e melhorar a qualidade e o desempenho do método tradicional de Papanicolaou.
A citologia em meio líquido é utilizada com sucesso na Europa e nos Estados Unidos em substituição ao método tradicional de esfregaço em lâminas de vidro, contribuindo significativamente para o decréscimo do número de mortes por câncer de colo do útero nesses locais. O DB Patologia utiliza o método aprovado em 1999 pelo Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora norte americana.

Principais vantagens da Citologia em meio líquido

1.Apenas um dispositivo para coleta, o que torna o procedimento mais rápido;
2.100% do material coletado é encaminhado para o laboratório;
3.O material está pronto para processar e corar assim que é recebido no laboratório;
4.Melhor padronização de preparo técnico: distribuição uniforme do material e coloração padronizada;
5.Maior facilidade de interpretação, com redução do tempo de leitura;
6.Eliminação de muco, hemácias e infiltrado inflamatório;
7.Diminuição de amostras insatisfatórias;
8.Redução dos casos falso-negativos;
9.Possibilidade de processamento de lâminas extras sem reconvocação da paciente;
10.Manutenção de estabilidade da amostra por 60 dias após a coleta;
11.Possibilidade de realização de testes moleculares para papilomavírus humano (HPV), Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae.

Segundo dados do INCA, em 2011, o percentual de amostras insatisfatórias para o teste de papanicolaou foi de 6,47% (o desejado é menos de 5,0%), sendo os principais motivos: “artefatos de dessecamento” e “material acelular ou hipocelular”, com percentuais de 48,55% e 15,23%, respectivamente. Com a citologia em meio líquido, esses fatores são minimizados.

Método convencional
No método convencional, é preciso utilizar dois dispositivos de coleta para obtenção de células endocervicais e ectocervicais. Após a coleta faz-se o esfregaço e, em seguida, a fixação do material na lâmina, para então fazer a coloração. Ou seja, são três etapas manuais.

 

Método citologia em meio líquido
Com a citologia em meio líquido, apenas um dispositivo de coleta é utilizado. Esse dispositivo coleta as células endocervicais e ectocervicais. Logo após a coleta, destaca-se a ponta da escova
no frasco com o meio líquido e a coleta está concluída.

CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO

O DB Patologia realiza a preparação das lâminas por meio de método automatizado

Após o processo de “enriquecimento celular”, o material é levado ao equipamento de preparação e coloração. Esse processo elimina os possíveis interferentes, reduzindo a quase zero as amostras insatisfatórias.

Comparativo entre os métodos

Na citologia em meio líquido, além da redução para apenas um dispositivo de coleta para células endocervicais e ectocervicais, a preparação e coloração das lâminas é totalmente automatizada, o que padroniza e melhora a qualidade das lâminas.

CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO

 

Métodos Moleculares

Outra vantagem do método de citologia em meio líquido é a possibilidade de realizar também testes de biologia molecular para papilomavírus humano (HPV), Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae, com apenas uma coleta. Além desses, qualquer método molecular poderá ser realizado com essa mesma amostra, uma vez que o DNA, o RNA e as proteínas permanecem conservados no meio líquido.
Confira quais testes podem ser realizados:

CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO

Referências
INCA. Colo do útero. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/colo_utero/definicao. Acesso em: 03 abril de 2018.
Adequancy of BD SurePathTM Cytology Samples for DNA-Based Applications: HPV Detection, Identification, and Quantification. Avissar P., Harrison M., Li H., and Malinoswski D. (Acta Cytol. 48:628, 2004).
Detection of Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae infections in North American Women by testing SurePathTM Liquid-Based Pap Specimens in APTIMA Assay.
Chernesky M., Freund G., Hook III E., Leone P., D’Ascoli P., Martens M. (J Clin Microbiol, 2007 Aug. 45(8): 2434-8).
Unsatisfactory reporting rates: 2006 practices of participants in the college of american pathologists interlaboratory comparison program in gynecologiccytology. Moriarty et al. Unsatisfactory Reporting Rates. Arch Pathol Lab Med. 2009 Dec;133(12):1912-6.

Encontre um Laboratório Parceiro

Laboratórios Parceiros

Encontre um Laboratório Parceiro

Encontrar