Guia de Exâmes

Guia de Exames

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

O teste para intolerância alimentar identifica alimentos que levam à produção de anticorpos IgG, que poderão estar na origem de diversas doenças, como, intolerância a alimentos, transtornos gastrointestinais (síndrome do cólon irritável),
alterações dermatológicas (eczema), sobrepeso, enxaqueca e artrite. Uma vez identificados os alimentos responsáveis, estes poderão ser reavaliados na dieta.
O estudo de intolerância alimentar consiste em uma prova laboratorial que permite medir os níveis de Imunoglobulina G, específica, frente a até 200 alimentos diferentes.


Teste para intolerância alimentar mediada por IgG.
As alergias alimentares são reações clássicas mediadas por Imunoglobulinas E (IgE). No entanto, as chamadas intolerâncias alimentares, mediadas por imunoglobulinas G (IgG) são menos conhecidas e apresentam uma manifestação mais tardia e menos evidente que as alergias IgE, não sendo diagnosticadas ou sendo confundidas com outras patologias.
Em muitas ocasiões, as pessoas convivem com elas e com todas suas consequências patológicas.

Entre 20 e 35% da população sofre, em diferentes manifestações clínicas, com efeitos derivados da sensibilidade a diferentes alimentos.

O grupo de alimentos de intolerância moderada ou severa indica o nível de anticorpos detectados e serve de referência para que em futuros controles se comprove se a retirada dos alimentos melhora os níveis de reatividade. Para evitar desequilíbrios nutricionais e/ou riscos de má nutrição, essa prova deve ser solicitada e supervisionada por um especialista que elabore uma dieta equilibrada e faça o acompanhamento do paciente.
Os resultados devem sempre ser correlacionados com a condição clínica do paciente, já que um nível aumentado de IgG de alimento não necessariamente se manifesta com algum sintoma específico.
É importante lembrar que os resultados desse kit não dão informações sobre alergias mediadas por IgE.

Conforme estudos científicos, existe uma melhora notável dos sintomas em uma alta porcentagem de pessoas quando há a retirada de alimentos que apresentam níveis de IgG específica acima da normalidade. Os sintomas podem ser:
Articulares: dor e rigidez.
Respiratórios: tosse, bronquite e asma.
Digestivos: acidez, úlceras e aftas na boca, gastrite, colite, prisão de ventre, diarreia e náuseas.
Gerais: enxaqueca, fadiga, depressão e retenção de líquidos.

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

1. Mix de Peixe de Carne branca (hadoque, bacalhau, solha)
2. Mix de Peixe de água-doce (salmão, truta)
3. Mix de crustáceos (camarão, caranguejo, lagosta, mexilhão)
4. Pimentas/ Pimentões (vermelhos, verdes, amarelos)
5. Mix de Leguminosas (lentilhas, ervilha, feijão)
6. Mix de Melão (melão, cantalupe, melância)

 

Diagnóstico laboratorial
O teste de intolerância alimentar que avalia anticorpos IgG é uma ferramenta de diagnóstico muito útil para todas as alergias alimentares dos tipos II, III e IV

INTOLERÂNCIA ALIMENTAR

Material: Soro congelado

 

Para mais informações acesse o Guia de Exames em nosso site: diagnosticosdobrasil.com.br

 

Referências

1. Dietary advice based on food specific IgG Results. Nutrition and food science Vol 37 No 1 2007 pp 16‐23
2. Food elimination based on IgG antibodies in irritable bowel syndrome: a randomised controlled trial. W Atkinson, T A
Sheldon, N Shaath, PJ Whorwell Gut 2004:53 1459‐1464 doi:10.1136
3. A Vegan diet free of gluten improves the signs and symptoms of Rheumatoid Arthritis. British Society of Rheumatology, 2001
pp 1175‐1179

Encontre um Laboratório Parceiro

Laboratórios Parceiros

Encontre um Laboratório Parceiro

Encontrar