Guia de Exâmes

Guia de Exames

SAÚDE DA MULHER

Quando se fala da saúde da mulher, tratamos das doenças ou condições exclusivas das mulheres ou que envolvem diferenças
sexuais particularmente importantes para elas. Essa definição reconhece as crescentes evidências científicas que sustentam
um enfoque direcionado para sexo e gênero, expandindo o conceito de saúde da mulher para além da ênfase tradicional nos
órgãos reprodutivos e suas funções.

Com o tempo, a definição passou a incluir uma apreciação acerca do bem-estar e da prevenção, da interdisciplinaridade e da
natureza holística da saúde da mulher, da diversidade das mulheres e suas necessidades de saúde ao longo da vida e do papel
central das mulheres como pacientes participantes ativas da própria assistência à saúde que recebem. 

Câncer de mama

Os marcadores tumorais ou marcadores biológicos são macromoléculas presentes no tumor, no sangue ou em outros líquidos
biológicos, cujo aparecimento e/ou alteração em sua concentração está relacionado com a gênese e o crescimento de células
neoplásicas (câncer).

SAÚDE DA MULHER

Outros marcadores tumorais

SAÚDE DA MULHER

Câncer de colo de útero

Nos últimos anos, o câncer de colo de útero se mantem entre os que mais causam óbitos, ficando com 6% de todas as
neoplasias. Em 2020, o número de novos casos foi de 16710, ficando atrás apenas dos casos de câncer de mama e colon e reto.

Se diagnosticado precocemente, o câncer do colo do útero tem tratamento e cura. De acordo com o Ministério da Saúde, no
sistema atual, mais de 70% das pacientes diagnosticadas com a doença apresentam estágios avançados já na primeira
consulta, o que limita muito a possibilidade de cura. Estima-se que cerca de 40% das brasileiras nunca tenham sido submetidas
ao exame Papanicolau, o que eleva a taxa de mortalidade por esse tipo de câncer.

O exame citopatológico cervical, também conhecido como Papanicolau ou citologia convencional, é um dos principais exames
destinados ao diagnóstico do câncer do colo do útero. Outro método é a citologia em meio líquido, atualmente reconhecido
como o mais moderno para a identificação precoce das lesões precursoras do câncer do colo do útero.

A citologia líquida é baseada na automação do método citopatológico convencional, melhorando o desempenho do teste,
além de permitir a realização de exames moleculares complementares para identificação do Papilomavírus Humano (HPV) e
também realizar testes para detecção de Chlamydia trachomatis e Nesseria gonorrhoeae, agentes causadores das duas
principais doenças sexualmente transmissíveis que acometem as mulheres, tudo com a mesma amostra, o que não é possível
em amostras convencionais.

Para o diagnóstico do câncer do colo do útero, o DB Patologia oferece exames de citologia em meio líquido e citopatológico
convencional, e conta com uma equipe de citologistas altamente capacitada, além de um grupo de profissionais de assessoria
científica capazes de discutir e sanar dúvidas técnicas.

O controle de qualidade é realizado desde a coleta do material, com orientações, até a leitura, por meio de revisão rápida de
100% dos casos negativos e insatisfatórios, sendo os casos positivos reavaliados por um segundo citologista. No monitoramento
externo da qualidade, as lâminas são enviadas para laboratórios conveniados para releitura, conforme normas exigidas pelo
Ministério da Saúde. Os laudos do DB contam com imagens de três campos distintos em todos os casos “positivos”, em que há
lesão celular, tanto no método convencional quanto no de citologia em meio líquido.

Perfil de exames

SAÚDE DA MULHER

Material de coleta

O DB fornece o kit de coleta juntamente com as orientações necessárias, pois a coleta do material reflete diretamente no laudo
final emitido pelo citologista.

O conhecimento básico e a estrutura conceitual são necessários à prestação de uma assistência abrangente a pacientes do sexo feminino de
todas as fases da vida, como menstruação, idade reprodutiva, fertilidade e gravidez, condições causadoras de maior morbidade e mortalidade, processo de envelhecimento, menopausa e ao declínio dos níveis de estrôgenio que acompanha a diminuição da função ovariana, entre outros.

Avaliação hormonal feminina

O DB oferece em seu menu de testes todos os exames necessários para dosagens hormonais de acordo com cada uma das diferentes fases da vida: infância, adolescência, período fértil, gestação, menopausa e geriátrica, contemplando as expectativas de médicos e pacientes.

Exames complementares

Para um diagnóstico preciso em um tema tão abrangente, é necessário que o médico correlacione à situação clínica da paciente a realização de exames sanguíneos complementares como: hemograma completo, exames de coagulação, bioquímica sanguínea, F.A.N., perfil hepático, proteína C reativa, perfil lipídico, vitaminas e marcadores para doenças infecciosas, entre outros.

 Referências
1. SIZER, Frances Sienkiewicz. Nutrição: conceitos e controvérsias. São Paulo: Manole, 2003.
2. RIFAI PhD, Nader. Tietz Textbook of Clinical Chemistry and Molecular Diagnostics. Filadélfia: Saunders. 7a ed. Abr. 2014.
3. HOLICK, Michael F.; CHEN, Tai C. Vitamin D deficiency: a worldwide problem with health consequences.. Am J Clin Nutr. 2008, 87
(suppl):1080S-6S.

Encontre um Laboratório Parceiro

Laboratórios Parceiros

Encontre um Laboratório Parceiro

Encontrar