Guia de Exâmes

Guia de Exames

TESTE DO PEZINHO - TRIAGEM NEONATAL

 

A triagem neonatal, mais conhecida como teste do pezinho, é um conjunto de exames laboratoriais realizados logo após o nascimento ou nas primeiras semanas de vida do bebê, sendo o período ideal entre o 3º e o 7º dia de vida. Nesse intervalo, o recém-nascido já foi alimentado o suficiente para evitar falsos-negativos nas doenças dependentes de amamentação.

Com um procedimento simples e rápido, é possível identificar precocemente doenças genéticas, metabólicas, endócrinas e infecciosas, que podem pôr em risco a vida ou prejudicar os desenvolvimentos somático, neurológico ou psíquico do recém-nascido.

Diagnóstico laboratorial

O Diagnósticos do Brasil, oferece perfis para a realização do teste do pezinho, com diferentes conjuntos de exames. Além desses, o setor de Neonatologia disponibiliza outras análises, por exemplo: HIV 1 e 2 e Acilcarnitinas, que podem ser solicitados em conjunto ou separadamente.

O teste do pezinho é um exame de triagem. Em situações nas quais o resultado está alterado, é indispensável a avaliação médica para verificar a necessidade de coletar uma nova amostra para confirmação em metodologia específica. No DB, o setor de Neonatologia dedica-se à realização desses exames com equipamentos de alta qualidade, eficiência e liberação do laudo completo.

TESTE DO PEZINHO - TRIAGEM NEONATAL

TESTE DO PEZINHO - TRIAGEM NEONATAL

 

Perfis customizados e exames isolados

TRIAGEM NEONATAL

Cartão de coleta

O DB oferece o cartão para a coleta de sangue, atendendo a rigorosos padrões de qualidade estabelecidos pela Anvisa.

É obrigatório o preenchimento de todas as informações contidas no formulário fornecido pelo DB. Para alguns parâmetros,
esses dados são utilizados como parte da interpretação do resultado.

TRIAGEM NEONATAL

Envio do cartão de coleta

1. Preencha completamente a superfície dos círculos e espere que o sangue atravesse o papel naturalmente. Realize o
procedimento anterior em um círculo de cada vez. O procedimento deve ser sequencial. Nunca retorne ao círculo anterior.
2. A camada de sangue deve ser fina e homogênea, sem excesso ou manchas.
3. Depois de coletada a amostra, o sangue deve secar em temperatura ambiente. O tempo de secagem varia conforme as
características climáticas de cada região. Recomenda-se o período médio inicial de três horas.

Preenchimento adequado de sangue no papel-filtro

TRIAGEM NEONATAL

Qual a importância do diagnóstico precoce?

Identificar possíveis alterações, evitando atrasos no tratamento, podendo interferir no curso da doença, traçando tratamento
específico que minimize ou elimine as sequelas associadas a cada enfermidade, proporcionando melhoria na qualidade de
vida do bebê.

Como proceder em casos de resultados alterados?

Para qualquer resultado alterado, sugere-se, a critério médico, repetição da análise em papel-filtro ou outros materiais de
acordo com a metodologia específica.

Por que repetir?

Interferentes, como temperatura e umidade, podem influenciar o resultado. Para alguns parâmetros analisados, considera-se
a possibilidade de alterações transitórias. Fica a critério médico o acompanhamento clínico do paciente em conjunto com as
análises laboratoriais.

TRIAGEM NEONATAL

Referências
1. TEMKATE, L. P. Cystic fibrosis in the Netherlands. Int. J. Epidemiol., v. 6, p. 23-34, 1977.
2. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde, Coordenação-Geral de Atenção Especializada. Manual de Normas
Técnicas e Rotinas Operacionais do Programa Nacional de Triagem Neonatal. Brasília: Ministério da Saúde, 2002.
3. ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Triagem neonatal. Disponível em:
https://www.gov.br/anvisa/pt-br/@@search?SearchableText=triagem+neonatal.

 

Encontre um Laboratório Parceiro

Laboratórios Parceiros

Encontre um Laboratório Parceiro

Encontrar